anterior - contos - poesia - e-mail

[resposta de Guilherme da Luz]

From: Gdaluz
Sent: segunda-feira, 26 de Janeiro de 2004 5:32
To: [email protected]
Subject: RE: [kung-fu-toa] Penitência ?

 

       Oi Pedro

     Para já é de louvar o teu assumir de um assunto que toca a todos e que poucos têm a coragem de o expressar.

 

    Conheço-te o suficiente para dizer que serves imensamente os outros, começando pela tua vibração de disponibilidade para imensas pequenas coisas práticas, à tua maneira que dá muita confiança às pessoas para elas darem delas, até à transcrição da monstruosa entrevista que fizeste. Por isso não te sintas culpado (nunca, seja em que circunstância) por não conseguires passar os privilégios que tiveste para os outros.

 A grande "Coisa" é feita de pequenas coisas. Servir os outros pode ser uma dependência. E existem muitas maneiras de servir os outros, tudo começa por nós; quanto mais prazer tivermos sem depender de ninguém mais naturalmente servimos os outros, porque servir os outros está para além do que eles pedem ou do que pensamos que eles precisam. É uma questão de intimidade (gosto mais do que a palavra compaixão), uma partilha de Liberdade, confiança, entusiasmo, Fé e sobretudo ACEITAÇÃO e responsabilidade -- não esquecer que pobreza material ou intelectual é reflexo de pobreza de espírito e riqueza material ou intelectual não significa necessariamente riqueza de espírito. Se bem que é necessário q.b. de material e intelectual.

    O verdadeiro problema, se é que ele existe, é a falta de reverência perante a vida; por isso não vale a pena pre-ocuparmos muito com o servir as pessoas, tudo segue o seu rumo.

    Prejudicou-se, ao longo dos tempos, tanto e tão  monstruosamente as pessoas em nome de as ajudar que mais vale a pena deixá-las em paz.

 

   SERVIMOS OS OUTROS QUANDO NOS SERVIMOS A NÓS PRÓPRIOS

  O Confúcio disse "Faz o que gostas e não terás de trabalhar um dia na tua vida" isto é trabalhando servir verdadeiramente o próximo sem esforço, sem vangloriar-se, naturalmente e com prazer, mas claro, com as dificuldades da vida.

  Tudo é uma questão de fazer o que se gosta e quanto mais se vai ao fundo mais vemos que isso passa por relacionar-se com  e ajudar os outros.

 

   "O HOMEM VERDADEIRAMENTE LIVRE (incluindo de todo o tipo de sentimentos de culpa) É AQUELE QUE REALIZA O SEU SONHO SEM DEPENDER DE NINGUÉM (interdepender sim).

          Lao tse

 

 No fundo tudo se resume a sonhar e tornar o sonho realidade!

 

  Agora em termos práticos implica algumas destas questões:

  PRAZER, Confiança em si, imaginação, rebeldia, conhecimento, experimentar, ser íntegro; 3 venenos da mente: obsessão, ódio, negligência; proximidade certa com os outros, vida eterna, o essencial, o transitório e o eterno, viver o momento, persistência, dedicação, devoção, ser prático, dialéctica: servir-se e servir; apego, plenitude, responsabilidade, realista, centrado no vazio, inocente mas saber as manhas, saúde e ver a HARMONIA OCULTA das coisas...

 

   A UNICA COISA REAL É O SONHO, viver em função do sonho e não ter medo de ficar só mais o seu sonho.

 

       No tempo certo tudo acontece, a resposta à tua questão é: tempo a sonhar e tornar o sonho realidade.

 

              KUNG-FU DO SONHO.

                                                       G.